[Fechar]

banner

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Capitulo da UFRJ - Principais áreas na Engenharia do Petróleo. Como escolhe-las?

Olá tecnopeguianos!

Semana passada, o Capítulo falou aqui sobre a importância de uma formação pluralizada para ingressar na indústria de petróleo. Isso é fácil de se constatar: basta, por um dia apenas, estar em um ambiente de tomadas de decisões ou pesquisa para exploração e produção. Ok, sobre isso já falamos, mas tal diversidade pode criar uma grande dúvida ou confusão na hora de escolher que área se especializar e trabalhar nela durante muitos anos. É claro que existe a possibilidade de troca de área ao longo da carreira, mas tenho certeza que a maioria dos alunos que nos lêem têm essa dúvida: será que estou escolhendo a área certa? Será que quero trabalhar com isso pelos próximos 30 anos? Será que essa área vai me dar projeção e uma vida financeiramente confortável? Será??

Antes de mais nada, vamos às principais opções:


•      Engenharia de Reservatórios: engenheiros de petróleo, nessa area, estimam o máximo de oleo e gás que pode ser recuperado em produção. Suas conclusões tem grande impacto nas projeções financeiras da compania.
Engenharia de Perfuração: trabalha com o design e implementação  do projeto economicamente mais viável da perfuração de um poço.
Analista de perfilagens: uma analista de perfilagens toma medidas com o uso de instrumentos alocados em determinada sprofundidades do poço para ajudar a entender o potencial produtivo do poço. 
Engenharia de produção: uma vez que a completação foi feita, um engenheiro de produção usa os dados de produção do poço para determinar a melhor maneira de trazer o óleo para a superfície.
Engenharia de instalações: as instalações projetadas são aquelas necessárias para separar, processor e transporter óleo e gás natural. Plantas de processamento e dutos  são exemplos de instalações de de suplemento. Engenheiro de instalações também projetam as estruturas usadas em produção e perfuração offshore.

Essas são as grandes áreas da indústria de petróleo, mas que dão oportunidade para diversas outras áreas paralelas serem criadas. Explicado da onde vem as grandes dúvidas? É a necessidade de profissionais para diversas áreas que faz a necessidade da escolha.

Podemos dizer que boa parte das pessoas que já “escolheram” suas áreas, foram influenciadas pela empresa que estavam. Dizemos isso porque é totalmente aceitável que alguém procure se adaptar à empresa em que está, então acaba se direcionando para a área em que a empresa está precisando de profissional. Gostanto, fica-se por lá mesmo. Em início de carreira, é difícil alguém que determine sua área e limite suas oportunidades de emprego a partir dela. Na maioria dos casos, existem preferências de área de atuação e isso é exposto para a empresa, mas a opção de adaptação em outra área é sempre considerada.

NÃO HÁ MOTIVO PARA DESESPERO

Nós, estudantes, precisamos nos focar em uma formação de qualidade e em ter diversas possibilidades à oferecer para a indústria que nos espera; isso é claro. Assim como já falamos em posts anteriores, é muito importante que usemos as diversas possibilidades para acrescentarmos nosso conhecimento, para nos sentir confiantes e interessantes para o mercado. Preparados, as oportunidades virão naturalmente e a escolha da área definitiva só será certeira a partir de amadurecimento profissonal, que só vem com o tempo.
Ao longo dos seis anos de vida do Capítulo, vimos muitos alunos se tornarem profissionais. Alguns deles, fizeram parte da diretoria do Capítulo e sempre nos trazem parte de suas experiências em seus atuais empregos e de suas transições de estudantes para o mercado de trabalho e, como unanimidade, sempre ouvimos: “Não tenham pressa!”. Precisamos ter claras os caminhos que poderemos tomar no futuro, mas a decisão não será, e nem deve ser, tomada sem a experiência necessária.

POR ÚLTIMO, 2 GRANDES MITOS

Engenharia de petróleo x refinaria: para aqueles que acharam  estranho a área de refino não ser citada anteriomente, vamos esclarecer: engenheiro de petróleo não trabalha com o refino do óleo e produção de seus derivados. Claro, que têm alguma noção da área, mas não esse o destino desses profissionais. A partir da entrega do óleo produzido, a figura do engenheiro de petróleo sai de cena.

Poluição: algumas pessoas têm um certo receio da produção de petróleo pelos danos ambientais que ela pode causar. Na visão de estudantes, a indústria de petróleo é de imitente poluição tanto quando outras e, de maneira intensiva, vem aplicando novas técnicas de produção para que o meio ambiente seja cada vez mais preservado. Ainda, parte dos lucros são destinados à programas de reconstrução ambiental em áreas degradadas pela indústria ou por outras atividades humanas.

Com o crescimento da indústria petrolífera brasileira, cada vez mais veremos grandes investimentos no país, grandes projetos e oportunidades profissionais em diferentes setores, decorrentes desses investimentos. A presença semanal do Capítulo por aqui também será para esclarecer algumas dúvidas, trazer atualidades e discutir assuntos que vocês escolherem. Para isso, enviem sugestões para ufrjchapter@spemail.org ou capitulo@poli.ufrj.br. Todo e qualquer comentário será bem vindo!

Grande abraço! Foi um prazer!


Visite também:
PETRÓLEO VAGAS, onde sua vaga na Indústria de Petróleo está esperando por você. www.petroleovagas.blogspot.com

PETRÓLEO E GÁS NETWORKING, a Rede Social do Estudante e Profissional da Indústria do Petróleo
www.petroleonet.ning.com

Twitter TECNOPEG: www.twitter.com/tecnopeg

Twitter PETROLEO_VAGAS: www.twitter.com/Petroleo_Vagas

"Tudo posso naquele que me fortalece" (Filipense 4:13)

3 comentários:

Luiz Henrique Consultor Oil&Gas 21 de fevereiro de 2011 01:36  

Pela minha experiencia. Nas fases de engenharias de produção e instalações já não há mais engenhairos de petróleo e sim de mecanicos, instrumentação e eletrica, além de, em alguns casos, civil.

Abraços,

Daniela,  14 de fevereiro de 2012 12:04  

Ola! Gostaria de ressaltar tambem a area de engenharia de fluidos. Esta muito relacionada a engenharia de reservatorios, mas tambem exerce influencia nas areas de producao e planejamento do poco de petroleo. Basicamente a engenharia de fluidos consegue testa os fluidos do poco, durante a fase de testes, conseguindo antecipar a composicao dos fluidos e suas propriedades fisico-quimicas. A partir destes testes e possivel definir se vale a pena ou nao trabalhar neste poco, e quais as melhores condicoes para se fazer este trabalho, avaliacao esta, que e essencial para os ganhos da empresa.

Obrigada!

Victor Couto 14 de fevereiro de 2012 16:41  

Muito obrigado pela opinião de vocês! Sempre é importante essa interação de pessoas já experientes do mercado também para trazer mais informações! Um abraço ao Luiz e à Daniela!

Blog Widget by LinkWithin

TECNOPEGUIANOS

Arquivo do blog

De onde nos visitam

Diretórios

Tire sua Dúvida

  ©Template by Dicas Blogger.